quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Como têm sido os finais-de-semana por aqui...

No primeiro fds após início do meu estágio, ocorreu na cidade Alborgh um encontro organizado pela IAESTE (para quem não sabe, IAESTE é o nome do programa de intercâmbio entre estagiários do qual eu faço parte). De estagiários mesmo éramos apenas sete: um EUA, um inglês, um Tcheco, uma polonesa, um russo, uma alemã e eu. Fora isso tinha bastante gente da IAESTE Dinamarca. Sexta-feira, todo mundo chegando de viagem cansado, apenas tomamos umas cervejas, jantamos um macarrão normal e jogamos um bilhar.

Sábado, a gente tomou café e saímos para vasculhar a parte norte da Dina. Passamos por cidades onde eles fazem artezanato em vidro, igual aqueles caras de Poços de Caldas e um monte de outros lugares no Brasil, por umas igrejas soterradas na areia, lanchamos numa praia, onde presenciei uma cena ridícula, devidamente documentada, e no final visitamos um lugar realmente legal, o ponto mais ao norte da Dina, onde os mares do norte se encontram. E ainda de quebra tinham muralhas de Bunkers, pois era um lugar de grande importância estratégica nas intermináveis guerras que esse pessoal europeu passou. O pessoal era meio parado, fiquei a maior parte do tempo fazendo piadinhas com eles, que não entendiam muita coisa. O pessoal é sem malícia.

De noite foi legal. Jantamos uns filés de porco muito bons (porém em quantidade não suficiente), começamos um esquenta e fomos pruma tal de Jormfu Ane Gade, que até então eu não sabia, era uma rua de baladas. Mas louco o lugar. São vários barzinhos um do lado do outro, com umas danceterias em cima, e a rua fica cheia de gente andando pra lá e pra cá. E sem taxas pra entrar. Cansou de um, vai pro outro. E como pra tomar uma cerveja lá seria muito caro, saquei minha Pirassununga 51, apresentei como sendo um bebida genuinamente brasileira, misturamos com uma coca ali mesmo, e não é que o pessoal gostou? Principalmente o russo e o EUA. Depois que bebe, o pessoal é realmente amável, e foi muito engraçado ver o os caras aqui dançando quando o DJ colocou aquela música do Carrapicho: "bate forte o tambor, eu quero é tique-tique-taque". E quando eu parei de rir, o russo ainda falou que fizeram uma versão dessa música na língua deles e toca direto nas paradas soviéticas. Mole? Domingo andamos pela cidade e ganhei uma carona de volta pra Aarhus. Foi um fds diboa.

No outro, fds fui pra Horsens, outra cidade aqui perto, onde estava sendo realizado o Festival Medieval. É uma festa onde o pessoal da cidade se veste de bárbaro, príncipe, cigano e mendigo-com-peste-negra, então apagam as luzes, acendem tochas, e há comidas e shows de teatro e musica. É legal pra ir uma vez e ver como é.

De noite que foi engraçado. Teve uma festa aqui no alojamento, durante todo o sábado, para o pessoal se conhecer e dar boas-vindas aos novos moradores. De noite eu e o Bruno, um mineiro que conheci aqui, fomos à festa armados com mais Pinga. E mais uma vez alguém sentiu seu poder. Conhecemos uns Lituanos, 30 homens e 30 mulheres, tudo na faixa dos 18 e 19 anos, tinham acabado de chegar pra fazer um curso técnico ou algo parecido. Em suma, calouros de tudo. Já saímos oferecendo, e num primeiro mommento o pessoal ficou ressabiado: "que será que esses brasileiros tão querendo", mas depois um foi experimentando, outro também, e no final tava todo mundo achando que era água. E acabou que secou mesmo. Teve um cara em particular, que no dia seguinte eu o encontrei e ele gritou: "CACHACA!!!". Ficou realmente marcado, tava lá ele tomando leite e comendo um bolinho diboa no cantinho, uhauhauha.

No domingo, fiz companhia ao Bruno e um amigo, pois ele estava mudando de uma cidade aqui perto chamada Silkeborg para Aarhus. Conheci a cidade. É bem bonita. Mas era domingo e as ruas estavam desertas, exceto por um a feirinha de carros antigos. Bem fraquinha por sinal.

E nesse último fds começou o Aarhus Festival. Vai durar até esse domingo, e tem vários shows e atrações culturais ocorrendo pela cidade. Mas como tem chovido muito, parece que o ibope está sendo ruim comparado com o de costume. Eu mesmo fui lá somente na sexta à noite e sábado de dia. Mas foi divertido de qualquer maneira.

Fora isso, as baladas-extra-dormitórios têm sido poucas. Só um dia fui de tarde ao centro pra tomar uma breja com uns brazucas que encontrei por aqui. Na realidade nos conhecemos pela internet, claro. O Bruno eu já conhecia, pois temos uma amiga em comum e ela nos colocou em contato. O Henrique, foi pelo couchsurfing e o Luis encontrou o Bruno na facú. Ainda não saímos juntos pra esbanjar brasileiragem por aí. Mas quando ocorrer eu conto.

Beijo pra todo mundo e fiquem alertas, qualquer dia desses tem mais.


Dinamarques bizarro e o encontro dos mares.



Skagen, onde os mars se encontram.




Americano e o Tcheko nesse maiozinho bizzarro inventaram de entrar no mar. Tsc, tsc, tsc...





Galera´da IAESTE DK na praia de Frederikshavn.






Um ingles bizarro e os brazucas, Bruno, Henrique e eu mesmo (com cerveja ecológica na mao)








Desfile medieval em Horsens.








Eu enforcado.







Banheiro público em Horsens.
Sumo inflável no dia de festa do alojas (Skoldhøj Kollegiet).

Ortodoxa, do Chipre, que mora comigo, e Bruno, camarada brasileiro no dia da festa do alojas.


Alguns dos 12 que moram que comigo. Higushi (japao), Ljljiaana (Croacia), Ortodoxa (Chipre), Evelyn (Noruega) e Jakob (Dina), no Aarhus Festival.

Show da banda Monobloco no Aarhus FEstival, agorinha mesmo (07/09/2007, as 22horas). A brasileirada tava em peso.

2 comentários:

Marco disse...

Fala ae Thales!!!
Ow, bizarro msm a galera na praia hauahauahau!
Muito bom ver q vc tá curtindo a Dinamarca...e por sinal vejo q sem problemas de comunicação (fico mto satisfeito!!)
Quer dizer q vc tá fazendo a galera beber água q passarinho num bebe e tá gostando...hehehe!!!
Abração!

Thiago disse...

É isso aí... vc tem q ensinar esses gringos como funciona as noitadas aqui, pq pelo visto aí a coisa é meio devagar quase parando...

Agora, aquele maiozinho é meio virado hein...

Se cuida rapaz...abç!